TratamentofisioterapiaLesõesTerapia ManualComo tratar com eficiência dores crônicas na coluna - Clinica CDM

3 de abril de 20200

Você sabia que dores na coluna vertebral são comuns entre adultos?

Pesquisas apontam que  80% da população mundial já teve ou irá ter dores na coluna lombar e 34 a 50% na coluna cervical. Esse tipo de dor atinge o indivíduo na fase adulta, no auge da sua produtividade, podendo até levar a uma incapacidade funcional, trazendo prejuízos financeiros. É comum ainda, em muitos casos, que a pessoa permaneça com dores na coluna vertebral ao longa da vida, uma dor chamada de crônica que interfere na qualidade dos movimentos e atividades do dia-a-dia.

Mas por que isso acontece?

Os músculos da coluna vertebral tem função diferente dos músculos dos braços e das pernas. Os estudos recentes evidenciam que esses músculos da coluna chamados de músculos estabilizadores visto que tem a função de estabilizar e proteger a coluna. Segundo o autor Panjabi, essa estabilização ocorre pela interação de 3 sistemas: passivo, ativo e neural.

Sistema passivo constituído de vertebras, discos intervertebrais, articulações e ligamentos e esses fornecem estabilidade pela limitação passiva no final do movimento da coluna, ou seja, fornece um limite.

Sistema ativo composto por músculos e tendões que promovem uma rigidez no nível interverterias que sustenta as forças exercidas nas atividades do dia-a-dia.

O sistema neural por meio do sistema nervoso periférico coordena as atividades musculares em resposta a forças esperadas, com isso, ativa os músculos corretos no tempo certo para proteger a coluna de lesões, porém permite o movimento.

Quando a coluna vertebral está íntegra necessita de pouca co-ativação muscular, em torno de 10% de contração máxima para se manter estável.

No entanto, numa coluna lesada (por exemplo degeneração articular, protusão discal ou presença de hérnias de disco) pela frouxidão ligamentar precisa de maior co-ativação para realizar a sua função de proteger a coluna. Para que isso aconteça, o cuidado com a coluna vertebral precisa ser maior, diário e com o método certo.

Por que preciso cuidar diariamente da coluna se ela está lesada?

 Estudos apontam que os músculos estabilizadores perdem a sua memória funcional, com isso, esquecem a função de estabilizar, controlar o movimento e proteger as estruturas passivas da coluna, como cápsula, discos vertebrais e ligamentos. Com o tempo, surgem as crises  de hérnias de disco, dores ciáticas, dores constantes ou frequente, fraqueza muscular e limitação nas atividades. 

Estudos morfológicos evidenciam que essa memória muscular está localizada nos núcleos dessas células. Vale lembrar que célula muscular é plástica, excitável e multinucleadas (vários núcleos numa única célula), além do mais, tem a capacidade de regeneração por meio das células satélites localizadas na sua periferia. Sabe se que quanto mais núcleos e células satélites, uma célula muscular possui, melhor é a sua memória celular. E exercícios físicos corretos aumentam a quantidade de núcleos e promovem regeneração muscular em caso de lesões.

Mas por que perdemos memória muscular?

Com o passar do tempo, processo de envelhecimento natural, o músculo perde o seu volume, sua massa muscular (hipotrofia).  No caso de dores crônicas, é comum a pessoa não se movimentar para não sentir dor e essa inatividade leva a maior hipotrofia.  Nessa fase o músculo diminui sua função de controle e estabilidade, sobrecarrega, além disso, outros músculos que passam a exercer uma função secundária. A partir disso, ocorre a formação de pontos de tensão em que a dor irradia (braços ou pernas), conhecidos como pontos gatilhos. Esses, são pontos dolorosos, pouco vascularizados, consiste em fibras musculares com excesso de contração (liberação prolongada acetilcolina, neurotransmissor responsável pela contração muscular).

 Nessa região com pontos gatilhos tem diminuição  do aporte sanguíneo (absorção de oxigênio fica menor), ocorre um má circulação local, má nutrição muscular, com o metabolismo muscular alterado, o músculo fica ineficiente. Você sabia que 80% do oxigênio inspirado (durante a respiração) vai para os órgãos vitais como cérebro e apenas 20% é distribuído para o restante do corpo? Perceba que saber respirar da forma certa pode garantir que o músculo fique nutrido de forma adequada.

O  tratamento para essa disfunções da coluna, pontos gatilhos e músculos com memória fraca, precisa primeiramente promover o relaxamento dessa musculatura com presença de pontos gatilho, assim permitir que ele aumente a volumetria de oxigênio, melhor nutrição muscular e a pessoa sinta alívio. Há várias técnicas da terapia manual que tem a finalidade de relaxamento muscular e reequilíbrio neuromuscular (estruturas que dão suporte ao músculo).

O tratamento envolve ainda, uma respiração especial chamada de analgésica (para que o músculo receba oxigênio suficiente) e  principalmente de exercícios (posições e movimentos controlados), método específico e direcionado para a musculatura estabilizadora. Com os exercícios corretos é possível promover a contração máxima, induzindo assim a rememorização desses músculos e reequilíbrio muscular. Com isso, sua coluna ficará forte, você ficará livre de dor

e poderá aproveitar a vida com quem ama e realizar seus sonhos.

 

Leave a Reply

https://www.clinicacdm.com/wp-content/uploads/2019/06/logo-versao-2-clinica-cdim2.png

Visite nossas redes sociais:

Visite nossas redes sociais:

Copyright para Clinica CDM. Todos os direitos reservados.

Copyright para Clinica CDM. Todos os direitos reservados.