pós-operatório cirurgias plásticasBenefícios do laser de baixa intensidade no pós-operatório - Clinica CDM

12 de outubro de 20210

As cirurgias plásticas vêm proporcionando uma melhora na autoestima das pessoas que procuram constantemente uma transformação e corpo perfeito. Nesse processo de mudança, a fisioterapia dermatofuncional auxilia no pós-operatório e conquista do sonho. Seja por diminuir a dor, edema e processo inflamatório.

Sim, o pós-operatório deve ser levado tão a sério quanto o pré-cirúrgico e a própria cirurgia. Para tanto, um dos recursos mais utilizados após a cirurgia é  o laser de baixa intensidade ou potência. Vamos compreender neste post, o que é o laser, seu mecanismo de ação e o porque ele contribui favoravelmente no pós-operatório.

Laser de baixa intensidade

Laser de baixa potência ou intensidade é um recurso físico e é utilizado como tratamento fisioterapêutico isolado ou associado a outras técnicas.

Sabe que as células para se manterem saudáveis, são dependentes da troca de energia e informação entre as células vizinhas, o que se daria através de uma comunicação por vibração ou ondas. Essa comunicação ocorre por meio do plasma (líquido no sangue) que se conecta todas as células. Quando a vibração se torna irregular ou muda de frequência, pode ser trazida de volta à sincronia sendo irradiada pelo LBP na faixa do vermelho.

Dentre os equipamentos disponíveis, os mais utilizados são os de Hélio-Neônio (HeNe) e o Arseneto de Gálio (AsGa). E os comprimentos de onda variam dependendo do objetivo a ser alcançado, de forma que existem vários aparelhos no mercado, com gás e cumprimentos de ondas diferentes.

O termo Laser vem da abreviação de Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation (Amplificação de Luz por Emissão Estimulada de Radiação). O laser é uma luz amplificada produzida por radiação eletromagnética que se manifesta como luz monocromática. A potência do laser determina quanta energia é inicialmente entregue á superfície do tecido que esta sendo irradiado pelo laser.

Os lasers vermelho e infravermelho (Laser de Baixa Potência) são eficientes em diferentes profundidades do tecido vivo. De acordo com Albert Einstein, as ondas de maior frequência são mais energéticas do que as ondas de menor frequência, assim, quanto maior a frequência mais energia em um único “quantum”.

Tanto as células, tecidos e fluídos em nossos corpos vibram em uma frequência similar à dos LBP na faixa do vermelho (630 a 670nm).

Laser no pós-operatório de cirurgias plásticas

Em decorrência da alta procura por cirurgias plásticas e da preocupação dos cirurgiões em se obter um pós-operatório sem complicações, com maior conforto para o paciente, uma cicatrização mais rápida e de boa qualidade, que o fisioterapeuta dermatofuncional faz parte da equipe cirúrgica.

A fotobiomodulação (LBP) promove a analgesia, efeito anti-inflamatório,  cicatrização tecidual, favorecendo a formação de novos vasos sanguíneos e linfáticos.

A aplicação preventiva do LBP pode ser eficaz em evitar complicação no pós-operatório e na redução da dor pós-operatória.

Os efeitos biológicos do laser utilizado por bioestimulação ocorrem em diferentes maneiras. A radiação emitida pelo laser terapêutico afeta os processos metabólicos das células-alvo, produzindo efeitos bioestimulantes que resultam na ocorrência de eventos celulares e vasculares, os quais parecem interferir diretamente no processo de reparo e cicatrização. Age por meio da atividade mitótica das células epiteliais, modificação da densidade capilar, estimulação da microcirculação ou, principalmente devido a síntese de colágeno.

O LBP gera um fenômeno fotobiológico na área alvo, através de processos bioquímicos, incorrendo em importante resposta celular e tecidual final.

Esse aparelho tem como função irradiar células e ativar alguns componentes, resultando em reações bioquímicas que podem alterar completamente o metabolismo celular.

A terapia com laser de baixa intensidade consiste na aceleração da divisão celular, resultando  numa maior síntese de colágeno por parte dos fibroblastos. Assim, o laser possui eficácia no processo de regeneração celular, proporcionando uma cicatrização mais rápida e adequada.

Dessa forma, o pós-operatório com a utilização do laser de baixa intensidade pode ser mais confortável, com menor intensidade de dor, inchaço e previne intercorrências exageradas como seroma, fibroses e inflamação.

 

Leave a Reply

https://www.clinicacdm.com/wp-content/uploads/2019/06/logo-versao-2-clinica-cdim2.png

Visite nossas redes sociais:

Visite nossas redes sociais:

Copyright para Clinica CDM. Todos os direitos reservados.

Copyright para Clinica CDM. Todos os direitos reservados.

Notice: Undefined index: username in /home/clinicacdm.com/public/wp-content/plugins/bold-page-builder/widgets/bb_instagram/init.php on line 36