fisioterapiaTerapia ManualTratamentoO que é fáscia? - Clinica CDM

3 de julho de 20200

Quando pensamos em sistema muscular, lembramos logo em movimento. Correr, pular, saltar, dançar, movimentar, porém para algumas pessoas o desejo de movimento envolve coisas simples do dia a dia, como subir e descer escada, pegar um objeto no chão, rolar na cama, colocar um calçado, entrar no carro ou alcançar um objeto.

Muitos de nós tínhamos boa flexibilidade e nos orgulhávamos de nosso vigor físico, no entanto, após os 40 anos, essa liberdade de movimento já não é tão grande e ao tentar praticar uma atividade física após período de sedentarismo surgem as dores e lesões. Talvez você pense que isso faz parte do processo natural de envelhecimento, mas não precisa ser assim.

Vamos compreender nesse post um dos mecanismos envolvidos nesse processo de perda de mobilidade, cansaço frequente e limitação de movimentos. Vamos falar de alterações na fascia.

O que é a fáscia?

Fáscia é um tecido ininterrupto (contínuo) que recobre da cabeça até os pés, é como se fosse uma segunda pele que da forma ao corpo, nutre, hidrata, favorece a transmissão de força entre os músculos e armazena energia. Fáscia é constituída de células como fibroblastos (menor quantidade) e matriz extracelular, colágeno e substância amorfa.

Nessas fáscias existem camadas de fibras de colágeno. Estas, tem propriedades visco elásticas e possuem ondulações. Sabe-se que após 21 anos de idade inicia-se naturalmente a perda de colágeno e essa perda se acentua, para você ter uma ideia aos 50 anos a pessoa tem diminuição de 35% de colágeno. Perde se ainda as ondulações nas fibras de colágeno, estas, ficam mais lisas, o que faz que não seja tão eficiente em armazenar energias, não promove uma boa tensão e não desempenha o seu papel como antes.

Existe uma substância que une os diversos colágenos existente no nosso organismo, chamada de crosslinking. Este, com o passar dos anos, tem uma menor produção e diminui no nosso corpo, com isso, nossa fáscia fica mais rígida, com menos hidratação, assim, transmite menos força. Além disso, no nosso meio extra celular (entre as células) tem uma substância fundamental que permite o deslizamento natural de um músculo sobre o outro. No entanto, ela torna-se mais viscosa (pense em um pote de mel que era líquido e ficou denso, duro, difícil de retirar desse pote), essa condição dificulta esse deslizamento muscular.

Assim, essas alterações orgânicas imperceptíveis aos nossos olhos e que se tornam visíveis no nosso caminhar e em nossas posturas, pela presença de dores, sensação que algo está preso, menor  flexibilidade, mobilidade e agilidade.

Mas, e agora o que podemos fazer para prevenir ou tratar?

Inicia-se a perda gradativa do colágeno nosso organismo, após os 25 anos de idade, por isso, a partir dessa idade, devemos diariamente repor essa perda por meio da ingestão de colágeno. Além de cuidar da nossa postura e manter nossa fáscia com boa mobilidade. Podemos fazer isso de forma ativa ou passiva.

Existem técnicas passivas em que o fisioterapeuta libera a aderências dessa fascia e devolve sua mobilidade como a técnica de liberação miofascial segundo Rolf.

Ainda, técnicas ativas, ou seja, que você precisa fazer. Esse são exercícios específicos, mas calma, eles são agradáveis de se realizar e favorecem uma maior nutrição nas fascias, melhor deslizamento muscular, e como resultado você irá se cansar menos ao realizar suas atividade, terá um ganho na mobilidade, agilidade e flexibilidade.

Antes do tratamento é realizado uma consulta, com execução de testes terapêuticos que comprovam ou descartam o envolvimento das fáscias.

 

Leave a Reply

https://www.clinicacdm.com/wp-content/uploads/2019/06/logo-versao-2-clinica-cdim2.png

Visite nossas redes sociais:

Visite nossas redes sociais:

Copyright para Clinica CDM. Todos os direitos reservados.

Copyright para Clinica CDM. Todos os direitos reservados.